Foto: Arquivo Pessoal

PF interdita pontos de fabricação de licor em Cachoeira

A Polícia Federal interditou dois dos mais tradicionais fabricos de licor em Cachoeira, no Recôncavo baiano, nesta terça-feira (21).  Segundo informações da prefeita de Cachoeira, Eliana Gonzaga, a interdição aconteceu por volta do meio-dia por agentes da PF.

Os locais de fabricação dos “Licores do Roque Pinto” e “Arraiá do Quiabo”, foram fiscalizados por técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no dia 11 de maio, e fizeram uma série de exigências e adequações.

Segundo a Associação dos Fabricos de Licor de Cachoeira, ocorreram duas visitas e foi estipulado um prazo de 60 dias (até 11 de julho) para que os locais atendessem exigências.

A prefeitura informou que a Vigilância Sanitária do município realiza fiscalizações e os fabricos de licor de Cachoeira atendem todas as normas e exigências. Além disso, a gestão municipal sinaliza que a interdição impacta o município. Só o fabrico Roque Pinto emprega 60 pessoas.

A prefeita disse ainda que esta semana de São João havia uma expectativa de venda alta na cidade, e que o poder público tem atuado junto à Associação dos Licores e aos fabricos interditados para tentar reverter a situação.

De acordo com a Associação dos Fabricos de Licor de Cachoeira e representantes do fabrico Licores Roque Pinto, os dois fabricantes se uniram para contratar emergencialmente um profissional que ajudará nas demandas exigidas pelo Ministério da Agricultura.