Foto: Hennepin County Sheriff's Office

Justiça declara ex-policial Derek Chauvin culpado pela morte de George Floyd

A justiça de Mineápolis, nos Estados Unidos decidiu nesta terça-feira (20) que o ex-policial Derek Chauvin é culpado pela morte de George Floyd, homem negro asfixiado durante uma abordagem policial em maio de 2020.

Os 12 jurados se reuniram na segunda-feira (19) para discutir o caso e chegar a uma decisão unânime. Antes da sentença, o júri ouviu os depoimentos de testemunhas, defesa e acusação no processo. O acusado, Chauvin se recusou a depor no tribunal.

Derek Chauvin foi considerado culpado em todas as três acusações de homicídio contra Floyd.

– causar a morte, sem intenção, por meio de um ato perigoso, sem consideração pela vida humana

– negligência ao assumir o risco consciente de causar a morte de Floyd

– homicídio culposo

O juiz ainda vai anunciar a pena em até dois meses. Nos EUA, é normal que o condenado saiba de quanto tempo passará preso dias depois da sentença. Após a condenação, Chauvin deixou a sala de audiências algemado.

O caso

Em maio do ano passado, em uma ação policial, Derek Chauvin apoiou o seu joelho contra o pescoço da vítima durante 8 minutos e 46 segundos em maio de 2020. Durante o sufocamento, Floyd afirmou várias vezes “I can’t breathe” (“Eu não consigo respirar”). Após a morte de Floyd, a frase virou lema, e várias manifestações se espalharam pelo país e por várias cidades ao redor do mundo, inclusive no Brasil, que gerou o movimento “Black Lives Matter” (“Vidas Negras Importam”).

De acordo com a acusação estadual, George Floyd já não respondia mais nos últimos 2 minutos e 53 segundos do sufocamento e morreu em um hospital logo depois. Chauvin vai a julgamento por homicídio culposo e assassinato em terceiro grau.