Foto: Saulo Cruz / Ministério de Minas e Energia

José Mauro Coelho pede demissão e deixa presidência da Petrobras

Depois de um pouco mais de dois meses, José Mauro Coelho pediu demissão da presidência e, também, do Conselho de Administração da Petrobrás. Anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (20), após o executivo começar a ser pressionado pelo próprio governo, sobre o reajuste no preço de combustíveis.

Em comunicado, publicado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), afirma que a “nomeação de um presidente interino será examinada pelo Conselho de Administração da Petrobras a partir de agora”.

Este é o terceiro executivo a comandar a estatal no governo Jair Bolsonaro. Desde o dia 23 de maio, a saída de José Mauro já era aguardada, após o Ministério de Minas e Energia anunciar que seria realizada a terceira troca no comando da empresa.

Os executivos Roberto Castello Branco e o general Joaquim Silva e Luna também deixaram o comando da estatal diante pressão do próprio governo por conta da alta de preços dos combustíveis.

A política de preços da Petrobras segue critério de paridade internacional, e a mesma adotada, em 2016, pelo governo Michel Temer. Significa que os preços dos combustíveis levam em consideração a cotação do barril de petróleo no mercado internacional e, também, as oscilações do dólar.