Foto: Humberto Filho / MP-BA

Ex-escrevente de cartório é condenada a nove anos de prisão por falsificação em Canavieiras

Uma ex-escrevente do Cartório do Tabelionato de Notas de Canavieiras, no sul da Bahia, aproveitou o cargo para cometer falsificação de documento público, falsidade ideológica, supressão de documento, peculato e corrupção passiva. Segundo o Ministério Público Estadual (MP-BA), na sexta-feira (4), ela foi condenada a nove anos e oito meses de prisão, em regime inicial fechado.

De acordo com o órgão, nas investigações, a mulher confessou vários crimes, entre eles que desde o ano de 2013 inseria informações falsas em documentos públicos. A denúncia foi apresentada pelo MP-BA, em janeiro de 2019.

Durante a operação de cumprimento de mandados de prisão temporária e busca e apreensão pela ‘Operação Domus’, três servidores foram presos. A ex-escrevente foi pega em flagrante na sua casa com documentos públicos, entre eles, escrituras e folhas soltas de livros de cartórios com matrículas de imóveis.

O órgão explicou ainda na denúncia que ela tinha poderes para assinar reconhecimento de firma, certidão e procuração, autenticação, exceto escritura, testamento, ata notarial e inventário.