Foto: GOVSP / Instituto Butantan

Estudo aponta que combinar vacinas da CoronaVac e AstraZeneca produz mais eficácia

A combinação de imunizantes contra Covid-19 de diferentes fabricantes da vacina pode ser positiva a quem recebe a aplicação, segundo um novo estudo que avalia o uso da CoronaVac com a AstraZeneca.

A publicação aponta que a inoculação com o esquema CoronaVac, da farmacêutica Sinovac, em combinação com o imunizante da farmacêutica AstraZeneca produz quase quatro vezes mais anticorpos neutralizantes que o esquema com duas doses de CoronaVac e pouco mais de três vezes mais do que duas doses de AstraZeneca.

Porém, o estudo avalia o esquema com duas doses e não o chamado “reforço”. Especialistas também tem indicativos como importantes e positivos, mas alertam que ainda não se trata do estudo que definirá a necessidade da intercambialidade.  

A análise foi realizada por pesquisadores do Centro de Excelência em Virologia da Universidade de Chulalongkorn, na Tailândia, que adota o uso do imunizante produzido pela Sinovac, assim como Brasil, Chile e Turquia.

A pesquisa foi realizada com um grupo formado por 77 pessoas, e que recebeu a combinação de doses diferentes. Outro com 79,  que recebeu duas doses da CoronaVac; e 80 participantes, que teve aplicação de duas doses da AstraZeneca. Nos grupos estavam homens, mulheres, e algumas pessoas com doenças relacionadas.  

No Brasil, o Ministério da Saúde determinou que a terceira dose nos pacientes com idade superior a 70 anos e imunossuprimidos não incluirá a CoronaVac, que foi a primeira vacina do programa de imunização brasileiro.