Foto: Divulgação / BYD D1

Carro elétrico para aplicativos de transporte começa a circular no Brasil

Em anúncio oficial, a BYD, montadora chinesa, confirmou que o carro elétrico D1, criado para aplicativos de transporte, começou a circular em fase de testes pela 99 em São Paulo (SP). A iniciativa, agora faz parte da Aliança pela Mobilidade Sustentável, que tem como objetivo acelerar o desenvolvimento da infraestrutura para veículos elétricos no Brasil.

As principais metas são aumentar a participação de carros elétricos para 10% das vendas, criar 10 mil estações públicas de carregamento e ter 100% da frota do app eletrificada até 2030. A aliança liderada pela 99, estão compostas também pelas empresas Ipiranga, Movida, Raízen, Tupinambá Energia, Unidas, Zletric e agora a BYD, e visa impulsionar a infraestrutura para veículos sustentáveis no país.

Em São Paulo, a BYD inicia os testes, com o modelo D1 EV, primeiro veículo elétrico feito sob medida para atender o mercado de transporte por aplicativo, além do segmento corporativo e locadoras, começa a circular na cidade, em fase de teste com um motorista da 99.

O projeto tem a parceria da DiDi Chuxing, maior empresa de mobilidade do mundo e proprietária da 99.

BYD D1

Versátil e com amplo espaço interno, principalmente na parte traseira, o BYD D1 mede 4.390 mm de comprimento, 1.850 mm de largura e 1.650 mm de altura, enquanto o entre-eixos é de bons 2.800 mm.

Outro diferencial do D1 é a porta direita traseira deslizante e automática, solução criada para facilitar ainda mais o acesso ao interior do veículo.

O motor elétrico entrega 130 cv de potência e 18,3 kgfm de torque máximo e a velocidade máxima é limitada em 130 km/h. As baterias de lâmina (Blade) com 53,4 kWh de capacidade garantem autonomia para 371 km com uma carga pelo ciclo WLTP. Usando uma mescla de lítio e fosfato de ferro (LiFePo), são mais finas e compridas, além de mais resistentes a explosões por perfuração ou excesso de temperatcorresponde a 480 mil – somente em 2021, a venda de veículos elétricos na região representou 46% do total.

Foto: Divulgação / BYD D1