Fotomontagem / imagens divulgação

Lei de reforma policial “George Floyd” é aprovada pela câmara dos EUA

Um projeto de lei que proíbe táticas policiais controversas e facilita processos contra policiais que violarem os direitos de suspeitos foi aprovado nesta quarta-feira (3), pela Câmara dos Representantes dos Estados Unidos.  

Com maioria na Câmara, os democratas conseguiram aprovar a “Lei George Floyd de Justiça no Policiamento” por 220 votos a 212. Apenas um republicano votou a favor do projeto. O texto agora segue para o Senado.

A aprovação ocorreu a poucos dias do julgamento de Derek Chauvin, ex-policial de Mineápolis que assassinou George Floyd.

Entenda o caso

Em uma ação policial, Chauvin apoiou o seu joelho contra o pescoço da vítima durante 8 minutos e 46 segundos em maio de 2020. Durante o sufocamento, Floyd afirmou várias vezes “I can’t breathe” (“Eu não consigo respirar”).

Após a morte de Floyd, a frase virou lema, e várias manifestações se espalharam pelo país e por várias cidades ao redor do mundo, inclusive no Brasil, que gerou o movimento “Black Lives Matter” (“Vidas Negras Importam”).

De acordo com a acusação estadual, George Floyd já não respondia mais nos últimos 2 minutos e 53 segundos do sufocamento e morreu em um hospital logo depois. Chauvin vai a julgamento por homicídio culposo e assassinato em terceiro grau.

Foto: Official White House / Adam Schultz

Joe Biden visita o estado do Texas após onda de frio

Depois que uma tempestade de inverno severa atingiu o Texas, levando a rede elétrica do estado à beira do colapso, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, visitou nesta sexta-feira (26) centros de ajuda humanitária em Houston.

O presidente elogiou ao citar a equipe do Centro de Operações de Emergência em Houston. “Há uma operação incrível aqui. É provavelmente a melhor do país. Eles estão salvando a vida das pessoas. Como minha mãe disse, eles estão fazendo a obra de Deus”.

Acostumados ao calor do que o frio, milhões de pessoas no Texas ficaram sem eletricidade e água potável.

Joe Biden e a primeira dama também visitaram o centro de distribuição de alimentos sem fins lucrativos, o gigante Houston Food Bank, que atende mais de um milhão de pessoas no sudeste do Texas.

Foto: Official White House / Adam Schultz

EUA ultrapassam 500 mil mortes pela Covid-19 e lidera em casos confirmados

Os EUA lideram a lista de casos confirmados e óbitos da Covid-19 e ultrapassa as 500 mil mortes pela Covid-19, segundo levantamento da universidade Johns Hopkins, nesta segunda-feira (22).

No começo da noite, o site da instituição registrava 500.071 óbitos, número que deixa o país como o mais afetado pela doença.

Após ordenar que todas as bandeiras estejam hasteadas a meio mastro nos prédios federais, para homenagear o meio milhão de mortos, o presidente Joe Biden participou de um minuto de silêncio, e depois, fez seu pronunciamento.

“Peço aos americanos que lembrem dos que perdemos e dos que ficaram para trás. Como nação, não podemos e não devemos permitir que isso continue. Temos que acabar com as políticas e a desinformação que dividiu famílias e comunidades”, disse o presidente.

“Devemos lutar contra isso juntos, como se fôssemos um, como os Estados Unidos da América”, concluiu Biden.

A vacinação nos EUA começou em dezembro, mas curva começa a frear com os primeiros efeitos do programa de vacinação em massa, com as vacinas produzidas pelas farmacêuticas Pfizer/BioNTech e Moderna.

Segundo dados do governo norte-americano, mais de 61 milhões de pessoas foram vacinadas no país.

Até o momento, o Brasil vacinou 5,8 milhões de pessoas (2,7% da população) e ainda não teve efeitos claros na redução de curvas.

Foto: Reprodução / Johns Hopkins
Foto: Reprodução / Redes sociais

Príncipe Harry e Meghan Markle não serão mais membros da realeza britânica

O príncipe Harry e sua mulher, Meghan Markle, não serão mais membros da família real. Informação foi divulgada nesta sexta-feira (19), pelo Palácio de Buckingham.  

O casal não retornará às funções reais e perderá apoio financeiro da família real britânica. Harry também abre mão dos títulos militares.

Foto: Sophia Germer / The Times-Picayune

Três pessoas morrem em tiroteio em loja de armas em Louisiana, nos EUA

Um homem começou a disparar dentro de uma loja de armas em Metairie, Louisiana (EUA), na tarde deste sábado (20) e provocou a morte de três pessoas, entre eles, o próprio atirador.

Segundo o xerife Joseph Lopinto, o caso ocorreu dentro e fora da loja Jefferson Gun Outlet, na cidade próxima a Nova Orleans. Após uma pessoa começar a atirar, outras revidaram. Em reação aos disparos, clientes e funcionários da loja teriam se envolvido no tiroteio e acabaram atingindo e matando o atirador.

Outras duas pessoas ficaram feridas e foram hospitalizadas, ambas em situação estável. A polícia não deu detalhes sobre as vítimas.

A polícia ainda está investigando para entender melhor o ocorrido. “Estamos tentando reconstruir tudo como aconteceu”, disse o xerife.

Foto: Reprodução / Agência Lusa

Frio nos EUA deixa ao menos um morto e 4 milhões sem luz no Texas

O presidente Joe Biden declarou estado de emergência na segunda-feira (15) e liberou assistência federal para o Texas, após queda das temperaturas no estado americano, que deixou ao menos um morto e mais de 4 milhões de pessoas sem luz, devido à sobrecarga da rede elétrica em meio ao aumento da demanda por aquecimento.

O site PowerOutage.us registrou na madrugada desta terça-feira (16), 4.113.701 pessoas com cortes de luz no Texas. As temperaturas previstas vão de -2º C a -22º C.

Segundo a polícia da cidade de Houston, a vítima deve ter morrido devido à exposição a temperaturas extremamente baixas. Aeroportos de Houston também foram fechados devido ao frio e à neve.

O frio também gerou cortes de luz, além de bloqueios de estradas, no estado da Louisiana. Na segunda à noite, cerca de 110 mil casas e estabelecimentos comerciais no estado ficaram sem luz.

As baixas temperaturas registradas nos EUA se devem a uma massa de ar vinda do Ártico. De acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia (NWS) o frio deve continuar nos próximos dias, e uma tempestade de neve está prevista para chegar na quarta-feira (17).

Foto: Shealah Craighead / Donald Trump

Senadores absolvem Donald Trump em segundo processo de impeachment

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi absolvido pelos senadores neste sábado (13) em processo de impeachment movido contra ele. A votação no senado terminou em 57 votos a favor do impeachment x 43 contra o processo.

Numa absolvição já esperada, para ser aprovado, o pedido de destituição tardia precisava contar com o voto de pelo menos 17 republicanos, além dos 50 democratas. Era necessária, uma maioria de dois terços para condenar o ex-presidente.

Após o anúncio da absolvição, em comunicado, Trump prometeu “continuar a defender a grandeza dos Estados Unidos. Nos próximos meses, terei muito a compartilhar com vocês e espero continuar nossa incrível aventura pela grandeza da América”, ressaltou.

Impeachment

O ex-presidente Donald Trump foi acusado de estimular, em 6 de janeiro,  a tomada do Capitólio, que ocorreu logo após uma grande manifestação organizada por ele perto da Casa Branca, na qual pediu à multidão que marchasse para o Congresso.

Foto: David Joles / Star Tribune

EUA: idoso mata uma pessoa e deixa feridos após abrir fogo em clínica médica

Uma pessoa morreu, e outras quatro ficaram feridas, após um idoso de 67 anos, abrir fogo em uma clínica médica em Buffalo, em Minnesota, nos Estados Unidos, nesta terça-feira (9).

O autor dos disparos foi identificado como Gregory Paul Ulrich. Segundo o xerife, o homem já era conhecido das autoridades locais e, desde 2003, já havia se envolvido em outros problemas com a polícia, como dirigir alcoolizado e por portar maconha.

A vítima teve a morte confirmada na noite desta terça, mas ainda não foi identificada pelos peritos.  Dos quatro feridos, três estão em estado grave e um foi liberado do hospital.

A motivação do crime não foi esclarecida, mas o chefe da polícia local, Pat Budke, acredita que o criminoso pretendia atacar a clínica por desavenças antigas com profissionais da saúde.

As autoridades ainda não sabem a motivação do crime e por que Ulrich quis abrir fogo contra a unidade de saúde, mas acreditam que o criminoso pretendia atacar a clínica por desavenças antigas com profissionais da saúde.

Os policiais encontraram “equipamentos explosivos improvisados”, mas não informou se essa bomba chegou a explodir no local.

A clínica médica onde acorreu o tiroteio fica numa pequena cidade a cerca de 60 quilômetros de Minneapolis, e funciona como um centro de testagem para a Covid-19 em Buffalo.

Foto: Official White House / Adam Schultz

Com Biden, EUA devem voltar ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

O governo de Joe Biden se integrará novamente ao Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual o ex-presidente Donald Trump se retirou quase três anos atrás. A volta do país norte-americano será com o status de observador, sem direito a voto, pelo menos por alguns meses, até pleitear o status de membro permanente.

A decisão vai contra o movimento da era Trump de distanciamento de organizações e acordos multilaterais. A medida deve gerar críticas de legisladores conservadores.

O secretário de Estado Antony Blinken, diplomata sênior dos EUA em Genebra vai anunciar a volta dos EUA ao órgão como observador, com o objetivo de buscar a eleição como um membro.

Em 2018, Trump saiu da principal agência de direitos humanos do organismo mundial.  O seu foco desproporcional em Israel, recebeu o maior número de críticas do conselho contra qualquer país, bem como o número de países autoritários entre seus membros.

Integrantes da administração Biden acreditam que o conselho precisa de reformas, mas que a melhor maneira de promover a mudança é envolver-se com ele de uma forma baseada em princípios.

Foto: Endagerex

Menor réptil da Terra é descoberto por cientistas, mas espécie já está ameaçada de extinção

Em uma expedição conjunta de pesquisadores locais e da Alemanha, descobriram dois minúsculos lagartos em Madagascar, na África, batizado de nanocamaleão. Cientistas acreditam ter descoberto o menor réptil da Terra.

De acordo com a Coleção de Zoologia do Estado da Baviera, na Alemanha, o corpo de um macho da subespécie Brookesia nana mede apenas 13,5 mm. Por isso, o torna o menor de cerca de 11,5 mil espécies conhecidas de répteis.

Ainda de acordo com o instituto, o comprimento do macho do topo à cauda é de 22 mm, mas a fêmea é muito maior, com cerca de 29 mm.  Os pesquisadores acrescentam que outros espécimes ainda não foram localizados, apesar do “grande esforço”.

Ameaça de extinção

O jornal Scientific Reports, classificou o novo camaleão, como ameaçado de extinção. Ele é encontrado apenas em uma floresta tropical montanhosa degradada no norte de Madagascar.

Conforme o relatório, o habitat do nanocamaleão foi desmatado, mas a área foi colocada sob proteção recentemente, para que a espécie sobreviva.

Cientistas recomendam que o camaleão seja listado como criticamente ameaçado de extinção na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) para ajudar a protegê-lo e ao seu habitat.

Foto: Vatican Media

Papa Francisco recebe 2ª dose da vacina contra a Covid-19

O líder da Igreja Católica Papa Francisco, de 84 anos, já tomou a segunda dose da vacina contra a Covid-19. Segundo a agência de notícias France Presse, fontes do Vaticano informaram nesta quarta-feira (3).

Em 13 de janeiro, o pontífice havia tomado a primeira dose da vacina da Pfizer e BioNTech, no primeiro dia da campanha de vacinação do Vaticano.

Numa entrevista transmitida pela televisão italiana, no mês passado, Francisco disse que a vacina “não é opção, é ação ética”. Ainda não há informação se o papa emérito Bento XVI também recebeu a 2ª dose.

Nesta cidade-estado que fica no coração de Roma, mais de 5 mil profissionais da saúde, idosos, trabalhadores e seus familiares poderão ser vacinados. A campanha é voluntária, entretanto, a vacina não será aplicada em crianças e pessoas menores de 18 anos, porque o imunizante desenvolvido pela Pfizer com a BioNTech, não foi testado nestes grupos.

Foto: Reprodução / Casa Rosada

Estudos preliminares apontam que eficácia da vacina Sputnik V para Covid-19 é de 91,6%

De acordo com resultados preliminares publicados nesta terça-feira (2) na revista científica “The Lancet”, uma das mais respeitadas do mundo, a vacina Sputnik V, desenvolvida pelo instituto russo de pesquisa Gamaleya para a Covid-19, teve eficácia de 91,6% contra a doença. Já a eficácia contra casos moderados e graves da doença foi de 100%.

Uma subanálise de 2 mil adultos com mais de 60 anos mostrou eficácia de 91,8% em idosos. A vacina foi bem tolerada nessa faixa etária.

Depois de Pfizer/BioNTech, Oxford/AstraZeneca e Moderna, o imunizante é o quarto a ter resultados publicados em uma revista. Isso significa que os dados foram revisados e validados por outros cientistas.

Confira os principais pontos da pesquisa:

– A análise preliminar dos dados de fase 3 dos testes sugeriu uma eficácia de 91,6% para a vacina. Uma eficácia de 91,6% significa que a vacina conseguiu reduzir em 91,6% os casos de Covid-19 no grupo vacinado em relação ao grupo não vacinado.

– A vacina é aplicada em duas doses. A segunda dose foi dada 21 dias após a primeira.

– A análise foi feita com resultados de 19.866 participantes. Desses, 14.964 tomaram a vacina e 4.902, um placebo (substância inativa). Houve 16 casos de Covid entre os vacinados (0,1%) e 62 entre os não vacinados (1,3%).

– A vacina também funcionou em idosos: uma subanálise de 2.144 adultos com mais de 60 anos mostrou eficácia de 91,8% nesse grupo. A vacina foi bem tolerada nessa faixa etária.

– Aos 21 dias após a primeira dose, não houve casos moderados ou graves no grupo da vacina e 20 casos no grupo do placebo. Isso foi o equivalente, segundo os cientistas, a uma eficácia de 100% contra Covid moderada ou grave.

– Nenhum efeito colateral sério foi associado à vacinação, e a maioria dos eventos adversos relatados foram leves – incluindo sintomas semelhantes aos da gripe, dor no local da injeção e fraqueza ou baixa energia.

– O ensaio está em andamento e tem o objetivo de incluir um total de 40 mil participantes – o monitoramento de segurança e eficácia continua.

Segundo os pesquisadores, todos os desenvolvedores de vacinas da Covid-19 até agora, só mediram os casos sintomáticos da doença para calcular a eficácia da vacina. Por isso, para determinar a eficácia da vacina em impedir a transmissão da doença é necessário mais estudos.

Foto: Reprodução / Carlos Slim Foundation

O homem mais rico da América Latina, mexicano Carlos Slim, se recupera em casa após Covid

O homem mais rico da América Latina, o empresário mexicano das comunicações, Carlos Slim, teve alta, após ter sido hospitalizado com Covid-19. Uma fonte próxima à família do milionário informou neste sábado (30), que ele está bem.

Segundo a AFP, uma fonte que colabora com o Grupo Carso, da família do magnata, afirma que Slim, de 81 anos, está em sua casa desde 28 de janeiro e está “muito bem de saúde”.

O filho do empresário, Carlos Slim Domit, disse na segunda (25), que o empresário “teve uma evolução muito favorável da Covid-19 mais de uma semana após sintomas leves”.

A Fundação Carlos Slim, participa do financiamento da vacina contra a Covid-19, desenvolvida pelo laboratório britânico AstraZeneca e pela universidade de Oxford.

Segundo a revista Forbes, Slim é o homem mais rico da América Latina, com uma fortuna estimada em 58,5 bilhões de dólares, e está no 21º lugar entre os milionários do mundo. No Brasil, é dono da Claro, Embratel e da Net.

Foto: Reprodução / CCTV China

Ex-banqueiro chinês é executado por crime de corrupção e bigamia

O tribunal da cidade de Tianjin decidiu executar Lai Xiaomin, ex-presidente da Huarong, uma das maiores administradoras de fundos estatais da China. Segundo a televisão pública chinesa, CCTV, as autoridades não deram informações sobre o método usado para executar o ex-banqueiro.

Em 5 de janeiro, o tribunal anunciou a sentença  e disse que os US$ 260 milhões em subornos e outros montantes apurados são “muito grandes e as circunstâncias particularmente graves. Claramente houve uma intenção de cometer um crime”.

Além do crime de suborno, Lai Xiaomin também foi condenado por bigamia por ter vivido por muito tempo com outras mulheres fora de seu casamento, com as quais teve filhos ilegítimos.

Em janeiro de 2020, Lai fez uma confissão transmitida pela CCTV, quando foram mostradas imagens de um apartamento em Pequim, supostamente de propriedade do alto executivo, com cofres e armários cheios de dinheiro, carros de luxo e barras de ouro.

Foto: Adam Schultz / Biden

Reforma imigratória de Biden dá esperança para 40 mil brasileiros nos EUA

A reforma imigratória enviada pelo democrata Joe Biden ao Congresso no seu primeiro dia de governo dá esperança para 11 milhões de imigrantes em situação ilegal nos Estados Unidos, dos quais cerca de 40 mil são brasileiros. A medida facilita o acesso à regularização dos que já estavam no território americano até o dia 1 de janeiro de 2021.

Segundo a consultoria de mobilidade global Hayaman-Woodward, em Washington, empresa especialista em imigração, afirma que há razões para otimismo. Essa pode ser a regularização imigratória mais ambiciosa em 35 anos.

A política do governo Trump ficou marcada como um período difícil de conseguir a documentação para os imigrantes latino-americanos. Além disso, o projeto de construção de um muro na fronteira com o México dava a sensação de que o cerco estava se fechando para todos.

A evolução do projeto está sendo acompanhada pela diplomacia brasileira. Primeiro, deve ser votado na Câmara e em seguida no Senado. Como o Partido Democrata está em vantagem em ambas às casas, sinaliza que a aprovação definitiva deve sair nos próximos meses.

Foto: David Lienemann / President Biden

Joe Biden toma posse como novo presidente dos Estados Unidos

O 46º presidente dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden, de 78 anos, tomou posse nesta quarta-feira (20) sucedendo o republicano Donald Trump. Em seu discurso inaugural, ele reforçou que é importante que os EUA garantam a igualdade entre as pessoas.

O democrata pediu união para derrotar o extremismo e restaurar a alma americana. “Temos que nos unir para enfrentar nossos inimigos: raiva, ódio, extremismo, violência, doença, desemprego e desesperança”, disse o presidente.

Além disso, Biden citou também os efeitos da pandemia do novo coronavírus, que tirou a vida de milhares de americanos e afetou a economia, e as mudanças climáticas como desafios da sua administração.

Entre os presentes na cerimônia estavam os seus antecessores, Bill Clinton, George W. Bush, Barack Obama e o vice de Trump, Mike Pence.

Donald Trump não participou da cerimônia de posse e deixou a Casa Branca na manhã desta quarta. O republicano passou mais de dois meses questionando a vitória de Biden nas eleições de 3 de novembro.

Joe Biden venceu as eleições de novembro com a maioria dos votos. Foram 306 votos eleitorais contra 232 do seu adversário.

Foto: Official White House / Shealah Craighead

Horas antes de posse de Biden, Donald Trump deixa a Casa Branca e vai para resort na Flórida

Algumas horas antes de Joe Biden prestar juramento como o novo líder dos Estados Unidos, Donald Trump fez sua última aparição em Washington DC como presidente nesta quarta-feira (20). Trump não vai participar da posse, como é tradicional na transição de poder.

Ao deixar a Casa Branca, o republicano falou rapidamente com alguns repórteres que o aguardavam do lado de fora do edifício. De acordo com jornalistas que estavam no local, ele agradeceu, disse que foi uma honra ter sido presidente e se despediu.

Então, entrou em um helicóptero que o levou para a Base Andrews, uma pista aérea da força militar no estado de Maryland. De lá, pegou o Air Force One, o avião presidencial, e seguiu para a Flórida.

Em seu último discurso como presidente, ele não mencionou o nome de Joe Biden. Citou algumas ações que aprovou durante a sua gestão, como a nomeação de mais de 300 juízes e três ministros da Suprema Corte, o corte de impostos, a eliminação de regulamentações e índices de desemprego.

“Sempre lutarei por vocês, eu estarei vendo, escutando. Nós amamos vocês, voltaremos de alguma forma”. E ainda disse: “Tenham uma boa vida. Nós nos veremos em breve”, disse Donald Trump para apoiadores que estavam na pista de embarque.  

Foto: Army National Guard / Sgt. Andrew Walker

Polícia dos EUA prende homem armado ao tentar passar barreira do Capitólio

Um homem armado foi preso pela polícia do Capitólio, nos Estados Unidos, na sexta-feira (15) quando tentava passar pela barricada policial montada ao redor do prédio para a posse do presidente eleito Joe Biden, que será no dia 20 de janeiro. Segundo as autoridades, ele estava com credencial falsa, uma arma de fogo carregada não registrada e mais de 500 cartuchos de munição dentro de um caminhão.

As Forças de Segurança temem que extremistas encorajados pelo ataque ao Capitólio, por apoiadores de Donald Trump, no último dia 6, possam tentar causar violência.

Na preparação do juramento de Biden, está sendo montada no centro da cidade, uma “zona verde” militarizada, com membros da Guarda Nacional. Uma cerca de metal foi erguida ao redor do Capitólio.

Segundo o agente Roger Dupont, o homem preso na noite de sexta, Wesley Beeler, de Front Royal, na Virginia, dirigiu até um posto de controle de segurança e apresentou uma credencial de inauguração não autorizada.

No caminhão revistado pela polícia tinha vários adesivos relacionados a armas, e encontraram uma Glock carregada, 509 cartuchos para a pistola e 21 cartuchos de espingarda.

Foto: Divulgação / Vaticano

Papa Francisco, de 84 anos, é vacinado contra Covid-19 no Vaticano

O Papa Francisco, de 84 anos, recebeu a primeira dose da vacina na quarta-feira (13), como parte de uma campanha de vacinação contra a Covid-19 para os funcionários do Vaticano. A informação é do porta-voz da Santa Sé, Matteo Bruni. O Papa emérito Bento XVI, de 93 anos, também foi vacinado.

Na semana passada, o Pontífice argentino havia anunciado que iria se vacinar contra o novo coronavírus. Em entrevista concedida para à rede Canale 5, o Papa criticou o que chamou de “negacionismo suicida” daqueles que se opõem a esta ferramenta contra a pandemia.

Por conta de sua idade avançada, o papa está dentro do grupo de maior risco. Além disso, teve um pulmão removido por conta de uma doença durante sua juventude na Argentina.

“Acredito que do ponto de vista ético todos devem ser vacinados, porque você não só põe em risco a sua saúde, a sua vida, mas também a dos outros. Quando eu era criança, lembro-me da epidemia de poliomielite, que deixou muitas crianças paralisadas e todo mundo esperava ansiosamente pela vacina”, afirmou o papa.

Francisco enfatizou ainda que é preciso se nortear pela ciência no Âmbito da pandemia, diante de suspeitas infundadas em torno dos imunizantes desenvolvidos pela Covid-19 alimentadas por determinados segmentos da sociedade.

Desde o início da pandemia, o Vaticano registrou pouco menos de 30 casos da Covid-19, sendo a maior parte deles, entre integrantes da Guarda Suíça, que vivem em alojamentos.

Foto: Official White House / Joyce N. Boghosian

Trump é ameaçado novamente de impeachment pelos democratas

Um segundo processo de impeachment contra o presidente Donald Trump, está sendo preparado pelos democratas norte-americanos, neste sábado (9). Por sua vez, Trump não dá sinais de renunciar após a ação violenta de seus partidários no Capitólio.

Segundo os democratas, o processo de impeachment pode começar na segunda-feira (11), só que num ritmo mais acelerado. Como o processo leva semanas, pode não ser concluído antes que o presidente eleito Joe Biden tome posse, no dia 20 de janeiro.

Nancy Pelosi, presidente da Câmara de Representantes, alertou que os democratas vão lançar o processo a menos que Trump renuncie. “Ele é louco, desequilibrado e perigoso. Ele deve partir”.

Após a invasão do Capitólio na quarta-feira (6) por apoiadores de Trump, que terminou com cinco mortos, incluindo um policial, a nova ameaça de destituição ganhou força.

Neste sábado, autoridades anunciaram que prenderam 18 dos invasores, entre eles, Jake Angeli, que se tornou um símbolo do ato contra o Capitólio. Jake entrou no prédio acompanhado dos demais manifestantes, com seu rosto pintado de vermelho, branco e azul e um chapéu de chifres de bisão.

Foto: Divulgação / Sriwijaya Air

Avião desaparece na Indonésia com 62 pessoas a bordo

O governo da Indonésia confirmou o desaparecimento do Boeing 737-500 da companhia aérea Sriwijaya Air com 62 pessoas a bordo. A aeronave sumiu dos radares neste sábado (9) quatro minutos após decolar de Jacarta, capital da Indonésia. Um navio de resgate foi enviado para as operações de busca.

Segundo o site especializado FlightRadar24, o avião fazia o voo 182 e rumava à cidade de Pontianak, na ilha de Bornéu, quando perdeu mais de 10 mil pés de altitude em menos de um minuto. O Boeing desapareceu por volta das 4h40 (de Brasília e14h40 em Jacarta).

Em nota, a companhia aérea disse que estavam a bordo 56 passageiros e seis tripulantes. Ainda não há indícios para determinar as causas do desaparecimento.

Aviões Boeing 737-500 têm histórico de segurança considerado excelente e foi projetado para permitir rotas mais longas e com menos passageiros. Atualmente, nenhuma companhia brasileira com voos regulares opera esse modelo.

Foto: Reprodução / Agência Brasil

Em nota, fabricante volta atrás e diz que Índia exportará vacina de Oxford

O CEO do Instituto Serum da Índia, Adar Poonawalla, afirmou nesta terça-feira (5), que houve uma falha de comunicação sobre o assunto, e que a exportação de vacinas está permitida para todos os países.

O Instituto Serum foi contratado para produzir 1 bilhão de doses da vacina de Oxford contra covid-19 para países em desenvolvimento, mas no domingo (3), o próprio diretor, deu a entender que primeiro iria assegurar a vacinação da população indiana vulnerável à Covid-19 e que iria barrar a exportação para outros países nos primeiros meses.  

No entanto, nesta terça-feira (5), o Instituto Serum e o laboratório Bharat Biotech divulgaram um comunicado que contradiz a fala inicial de Adar Poonawalla e garante a exportação:

“Comunicamos nossa intenção de desenvolver e fornecer vacinas contra a covid-19 para a Índia e globalmente. O mais importante é salvar vidas e oferecer a populações meio de subsistência na Índia e no mundo. Vacinas são um bem público de saúde mundial e têm o poder de salvar vidas e acelerar a normalidade da economia”, disse a nota.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), laboratório vinculado ao Ministério da Saúde, articula a importação de 2 milhões de doses prontas desse produto, e deve pedir nesta semana o aval para uso emergencial da vacina à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Foto; Tânia Rêgo / Agência Brasil

Índia veta exportação da vacina de Oxford e pode atrasar ainda mais a imunização no Brasil

Com o objetivo de assegurar a vacinação da população indiana vulnerável à Covid-19, a Índia vetou a exportação de doses da vacina da AstraZeneca/Universidade de Ofxord produzidas pelo Instituto Serum, maior fabricante de imunizantes do mundo. A decisão foi comunicada pelo CEO do laboratório, Adar Poonawalla, em entrevista à Associated Press no último domingo (3).

O Brasil teria fechado um acordo com a companhia no mesmo dia do comunicado para a compra de 2 milhões de doses do imunizante, que seriam armazenadas pela Fiocruz. O contrato foi chancelado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que autorizou a importação dos insumos. Entretanto, ainda não há aprovação do uso emergencial para a fórmula.

Segundo a Fiocruz, as negociações para a importação das doses do imunizante estão a cargo do Ministério das Relações Exteriores. A expectativa era de que as primeiras doses começassem a chegar ao país ainda em janeiro.

Foto: Official White House / Shealah Craighead

Trump pressiona secretário de estado da Geórgia a “encontrar” 11.780 votos

Um áudio publicado pelo The Washington Post, o presidente dos Estados Unidos Donald Trump pressiona o secretário de estado da Geórgia, Brad Raffensperger, a “encontrar” 11.780 votos para reverter sua derrota nas eleições de 2020. Faltam 16 dias para a posse de Joe Biden na Presidência dos EUA.

“O povo da Geórgia está com raiva, o povo do país está com raiva. Não há nada de errado em dizer que, você sabe, que você recalculou”, disse Trump.

O secretário de estado da Geórgia foi contra os argumentos de Trump. “Senhor presidente, os dados que você tem estão errados. Você deveria buscar uma eleição acurada. Você é republicano”.

O presidente ainda alega fraude eleitoral. No entanto, no estado da Geórgia, Biden venceu com 49,5% dos votos, contra 49,3% de Trump, ou seja, uma diferença de 11.779 votos.

Queima de fogos na cidade de Sydney, Austrália. Foto: City of Sydney

Em réveillon atípico, mundo comemora chegada de 2021 sem grandes multidões

Em diversos países do mundo, sobretudo os mais atingidos pelo novo coronavírus neste momento, recebeu a chegada de 2021 de um jeito diferente, não houve a contagem regressiva para o Ano Novo com grandes multidões nas ruas, praias e pontos turísticos.

Entretanto, houve queimas de fogos e comemorações transmitidas pelas redes e pela TV. Diferentemente de anos anteriores, não houve multidões diante da Torre Eiffel, em Paris, ou do Portão de Brandenburgo, em Berlim.

Alguns países da Europa estão sob restrições para tentar conter a nova onda do coronavírus, inclusive, França e Alemanha, apesar de terem começado a vacinação em 27 de dezembro.

Já em Sidney, na Austrália foi preciso adaptar a tradicional festa de Ano Novo. Sem público, a celebração da virada foi com uma queima de fogos de sete minutos.