Foto: Valter Pontes / Secom

20% da população já teve contato com a Covid-19 em Salvador; aponta estudo

Os dados da primeira etapa do Inquérito Epidemiológico sobre a Covid-19 em Salvador apontam que 20% da população de Salvador já teve contato com a doença. A iniciativa da pesquisa foi realizada pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) em conjunto com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O prefeito Bruno Reis (DEM) apresentou os detalhes em coletiva virtual, acompanhado da vice e secretária de Governo (Segov), Ana Paula Matos, nesta segunda-feira (25).

Em novembro passado, o estudo teve início com a realização de soroinquéritos nos doze distritos sanitários da capital baiana. O objetivo foi estimar o percentual de soteropolitanos com anticorpos para o vírus Sars-Cov-2, assim como avaliar a duração dos anticorpos na população estudada, determinar o percentual de infecções assintomáticas ou subclínicas e analisar se aspectos sociais e demográficos, além de condições de saúde, são fatores de risco.

Os profissionais de saúde realizaram 2.970 testes em 576 ruas e 2.558 casas. Deste montante, foi constatado que 604 pessoas tiveram anticorpos IgG/IgM contra a Covid-19, ou seja, 20% do quantitativo total.

Segundo a análise preliminar, os distritos com mais incidência de casos foram Itapagipe e Liberdade – em ambos os locais, 29% da população foi positivada -, seguidos por São Caetano (26%), Cajazeiras (25%), Itapuã (22%), Boca do Rio (21%), Cabula (19%), Pau da Lima (17%), Brotas (16%), Centro Histórico (15%), Barra/Rio Vermelho (12%) e Subúrbio (9%). Além dos exames, os cidadãos também responderam a questionários estruturados com abordagens sobre aspectos sociais.

“Desde a chegada da pandemia sentimos a necessidade de ter a quantidade de pessoas que haviam contraído o coronavírus em Salvador. A ocupação de leitos e o número de óbitos diários, até então, sempre foram os dados que nortearam as nossas decisões. Só que não tínhamos uma base de amostragem da cidade toda”, explicou Bruno Reis.

Sobre a possibilidade de imunidade de rebanho em Salvador, o inquérito epidemiológico traz a conclusão que com o percentual de apenas 20% da população infectada, a capital baiana segue distante do índice para alcançá-la.

A imunidade coletiva ocorre quando uma porcentagem significativa de indivíduos (entre 70% a 80% da população) fica imune a uma doença transmissível.